Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Fabuleux destin d'Ana

Não existe lugar para o acaso ...

Fabuleux destin d'Ana

Não existe lugar para o acaso ...

fantástico ...

Já tinha sido arrebatada pelo assombroso Ildefonso Falcones em a Catedral do Mar, contudo, nada me preparava para o deslumbramento que este a Mão de Fátima iria ter em mim!!!

Que o senhor escreve bem, nada de novidade! Que as historias ganham caminhos perplexos que se ligam entre si e se entrelaçam de maneiras tão singelas que nos deixam a nós (despretensiosos leitores) agarrados as personagens como se fossemos igualmente parte fundamental do enredo, também não é novidade alguma.

 Idefonso Falcones, especialista nesta arte de envolver leitor versos personagens,  incube a nós  a tarefa diária de abrir o livro, de  ter que o ler. Como se (tentar explicar isto é difícil), como se toda a história parasse enquanto o livro esta pousado em cima da mesa a nossa espera. Só quando o abrimos, só quando começamos a lê-lo , Hermando respira dando sequência a novela, da qual ele é personagem principal.

A novidade, bem a novidade não a posso revelar, ninguém consegue imaginar o final (por muita imaginação que possa ter) … volto a escrever: é fantástico

O livro está dedicado aos filhos do escritor, entre outros, mas especialmente as “ (…)crianças que sofreram e infelizmente ainda sofrem as consequências de um mundo cujos problemas somos incapazes de resolver”

Eu iria um pouco mais longe, dedico este livro (se tal me é permitido) a quem compreende que não existe uma religião melhor do que outra …

Todos nos somos bons, todos nos somos maus!!! O mundo é dual, o ser humano como parte desse mundo é igualmente dual. Guardando em nos  o melhor e o pior …