Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Fabuleux destin d'Ana

Não existe lugar para o acaso ...

Fabuleux destin d'Ana

Não existe lugar para o acaso ...

expressos que não são do oriente ...

Definitivamente a vida esta a correr …

Mais parece um expresso apressado com poucas paragens pré-destinadas, sempre a andar, sempre a correr sobre uns trilhos um tanto ou pouco gastos, mesmo sendo esta a nossa primeira vez (pelo menos nesta vida) que fazemos este percurso …

Por isso de tempos a tempos vejo-me coagida a carregar no sinal stop e descansar durante uns instantes … a verdade, é que não se para definitivamente, anda-se mais devagar (as vezes a passo de caracol), passa um dia e passa outro e aos poucos este comboio começa a entrar novamente da rota dos expressos …  (deixando os bem ditos caracóis e todos os animais mais lentos para trás)

Numa conversa, com alguém que me faz pensar (entre outras coisas) … chegamos a conclusão que esta coisa de viver em expressos, de desejar que chegue o dia Y ou o dia X para se viver /fazer/assistir a  algo só nos aproxima de uma estação, a ultima estação desta nossa viagem á qual chamamos vida, a morte.

Então para quê desejar que chegue o fim de semana?

Muitas das vezes chega a segunda feira bela e airosa e já nos estamos a chorar de desejo cheio de planos pelo fim de semana que vai chegar dai a 4 dias … !!!

Contudo, este problema (hoje) não me assiste … ora não fosse sábado!!!

Mas assiste-me (muito bem assistido) o  desejo que chegue por exemplo a primavera para logo a seguir poder desejar que chegue o verão para então estar novamente de ferias … já para não falar, que me galanteia  de uma forma espantosa o desejo que chegue a noite em que vou comprar Sushi e comer a luz de velas com a pessoa com quem tive esta conversa !!!

Agora que estou a passo de qualquer bicho vagaroso (sendo a tartaruga ou preguiça a melhor das escolhas)… tudo deveria estar mais tranquilo, certo? Não, mesmo a passo de bicho vagaroso o meu expresso esta de olho bem aberto na próxima estação … se me descuido lá ganhará ele a embalagem suficiente para ultrapassar qualquer tgv de última geração que ande por ai, correndo o risco de embater em qualquer parede só para chegar aquela noite (que eu nem sei se faz parte das paragens desta minha vida)

E o que fazemos nestes dias?!?! No meu caso sento-me junto a janela, apanho sol, apago no meu gps as coordenadas do restaurante de self service japones  e reduzo a energia deste comboio que é a minha vida.

Entre outras conversas esta semana sobre infra-estruturas, sentimentos e expectativas, alguém me disse que deveríamos ficar a zeros…

Vou comprar essa ideia, especialmente se me cortarem o abastecimento de matéria prima, para então este expresso não ande a mais de 10k por hora … 

4 comentários

Comentar post