Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Fabuleux destin d'Ana

Não existe lugar para o acaso ...

Fabuleux destin d'Ana

Não existe lugar para o acaso ...

Lisboa que cura as almas ...

No fim de semana passado recebi um amigo que conheci numa viagem, ai como é bom retribuir a hospitalidade sincera de alguém que nos acolheu sem nos conhecer, simplesmente confiando na nossa imagem (fotos) e na nossa escrita …

De tanto sol e de tantas lembranças do Agosto - já tão distante, Lisboa nestes dias esteve diferente, mais menina do que é habitual, mais moça e airosa do que é costume, sempre varina como manda a tradição!!! Que cidade magnífica esta a nossa, da Estrela ao Chiado, o eléctrico (o meu querido 28) fez as delícias de alguém que fazia aquele caminho pela primeira vez, foi-me impossível não fazer de conta que também por ali andava uma primeira vez. De  cabeça de fora da janela, olhos semi-cerados fui turista por um dia, de corpo e alma por ruas já por mim conhecidas, praças já tantas vezes exploradas e por becos uns da Saudades outros do Norte.

 Lisboa, esta Lisboa cantada ao expoente por fadistas e outros que tais, cura as alma da inércia, da solidão e da tristeza !!!

 A Lisboa do Paulo e do gato, do Tejo e do São Jorge, do Pessoa e da Liberdade, esta Lisboa que me encanta, a Lisboa do meu coração.

 

 

 

3 comentários

Comentar post