Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Fabuleux destin d'Ana

Não existe lugar para o acaso ...

Fabuleux destin d'Ana

Não existe lugar para o acaso ...

troca de mensagens ...

Olá boa tarde Dr. Luís

 

Não imagina a alegria que foi receber a sua mensagem. A alegria que foi recebe-la e a alegria que é escrever-lhe de volta …

Realmente, a vida é algo incrível quando acreditamos e seguimos o nosso coração não existem impossíveis. A ideia da casa de Sesimbra de seu pai sempre habitou em mim, sempre senti que Sesimbra (e todas as terras) mereciam uma casa da Praia, onde as crianças (e não só, também as suas famílias) encontrassem um tempo e um espaço para se cultivarem, num ambiente tranquilo acompanhado de profissionais conscientes e convictos que educação ultrapassa (com todo o respeito pelos menos) os currículos educacionais.

 

Ainda não sei bem onde vai ser a Casa de Sesimbra, mas sei que vai ter muita cor, com vários quadros pendurados nas paredes, terá sofás e resmas de livros nas prateleiras e sabe que mais, no verão as crianças descem a rua e vão “aprender” a nadar nas águas tranquilas da praia do Ouro, junto ao café “lobo do mar” onde a minha velhinha tia Olinda prepara uns petiscos maravilhosos.

 

Em Maio quando regressar vai encontrar uma “Cezimbra” bastante diferente daquela que os seus cinco anos conheceram. Existem não um, mas vários prédios tristes espalhados pela ruas antigas e os pescadores à seria, aqueles de boina preta na cabeça e olhar cansado de mar são cada vez são menos, dando lugares aos turistas espanhóis e ingleses que quando aqui chegam pensam que encontram o paraíso a 30km de Lisboa. Houve ruas que mudaram de nome e de sentido, dizem os que mandam que a isto se chama evolução. E assim sendo, guardo o meu velho do Restelo numa caixa de Pandora, sorrio e abraço a evolução.

 

Terei um prazer em imenso em encontrar-me consigo em Maio para me contar as éstorias dessa sua casa de férias. Maio é o mês do padroeiro da vila “nosso senhor das chagas”. A dita modernidade pode ser inevitável, é bem certo, mas existem coisas que não mudam e esta festa religiosa esta no DNA das gentes que por aqui vive.

 

Bem sei, das comemorações do aniversário da Liga, na próxima quinta feira dia 25 estarei lá para assistir a uma conferência. Assim como estarei no dia 7 de Maio. Será uma honra participar em algo que acredito. E este acreditar não é um acreditar audaz ou vulgar de como quem acredita que o Sporting ganhara ao Benfica, é um acreditar que nasce no meu interior e se espalha pelo universo em algo que não tem inicio nem fim. Enquanto educadora a trabalhar numa instituição privada e vendo o que acontece diariamente no ensino questiono-me o que se pode fazer para espalhar a mensagem do seu pai, ou a poesia de Sebastião de Gama, ou a pedagogia do bom-senso de C. Freinet ou ainda “liberdade sem medo” (Summerhill) …

 

Mas não me vou alongar mais, tenho cá para mim, que esta coisa de educação é muito mais educar os adultos (que dão muitíssimo mais trabalho) do que propriamente lidar com crianças.

 

Desejo-lhe um resto de domingo fabuloso

 

Um grande abraço amigo

 

Ana