Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Fabuleux destin d'Ana

Não existe lugar para o acaso ...

Fabuleux destin d'Ana

Não existe lugar para o acaso ...

O que realmente é lindo é a felicidade …

 

Não me canso de ser feliz, de o fotografar, de o escrever e de o proclamar como se eu fosse Pessoa ou Fernando ou os dois neste dia que é dele e não meu.

 

Esta coisa de ser feliz a tempo inteiro faz com que eu desconheça os efeitos que estão em moda pelas praças, ignore os sons que fazem a banda passar e nem tão-pouco saiba do andamento dos ponteiros do relógio nem dos dias apressados do calendário, porque fiz a minha escolha de ser feliz como tendência oficial e permanente de vida.

 

Deitei fora todos os rótulos que me diziam aquilo que eu tinha que ser, que vestir, que dizer e que sentir. Criei um novo ser que dispensa apresentações, é único no seu estilo de escrita, de rir, de ouvir, de ler e de amar. É verdade, amar...

 

Aprendi a amar como realmente é o amar; livre (com asas), preguiçoso (nas tardes de sofá), simples ( e bondoso), prologando (risos) e feliz (muito).

 

Mas deixando o poeta, hoje é também dia do António, que é Santo e no meio de tanta personalidade fico baralhada entre o improviso da escrita e a oratória do discurso.

 

Seja a quem for dedicado o dia, que em todos eles nós possamos caminhar com sentido da nossa essência, tranquilos e em paz, fazendo de cada um deles uma celebração da vida, tomando consciência da nossa alma, não aquela que publicamos aos quatro ventos, mas sim aquela que está escondida e somente se vai relevando á medida que expandimos a nossa consciência.

 

 

IMG_2083.JPG

fotografia by @SensePhoto

13414045_1802658146635690_1069705082_n.jpg

fotografia by @SensePhoto

Tribo - almoço.JPG

fotografia by @SensePhoto

13450752_1804368936464611_1216387384297252341_n.jp

fotografia by @SensePhoto