Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Fabuleux destin d'Ana

Não existe lugar para o acaso ...

Fabuleux destin d'Ana

Não existe lugar para o acaso ...

25º dia - quarentena da gratidão

Grata, pelo dia bom (bom, bom e bom) que hoje tive ...

Pela simplicidade das palavras e dos atos, pela simpatia da chuva matinal que me tocou levemente e pela delicadeza com que os últimos raios de sol me presenciaram ao final do dia.

O dia foi fabuloso, entre conversas amigas e sorrisos espalhados por quem por mim passava.

A vida tem destas coisas, às quais não me canso de agradecer e de admirar. Depois de uma semana de pescoço torto e andar marreca, hoje acordei direita de alma limpa e corpo revitalizado. Que bom que foi receber esta dadiva da cura …

Agradeço também ter dito forças para me desapegar de um livro. Quem que me conhece sabe o quando eu sou apegada (especialmente) aos meus livros. Todavia, também quem me conhece sabe que nesta fase da minha vida, estou a cuidar de vários pontos do meu Eu. Trabalhar o desapego é um desses pontos que me esta a dar um gozo bestial. Passo a passo, em bico de pés (para não fazer barulho) lá vou desapegando-me dos objetos e com eles de alguns sentimentos ganhando com isso novas emoções. Comprar um livro, lê-lo e depois solta-lo, respirar fundo, e continuar em frente, tem sido este o meu processo, dando assim espaço para que outro livro possa chegar…  

Neste regime de trocas de livros, o mais engraçado é saber que alguém vai ler um livro que deseja, vai conhecer as mesmas personagens, vai saber coisas que eu já sei e que quero muito partilhar porque a verdade, é que é muito bom partilhar…

“Quem parte e reparte fica sempre com a melhor parte”

Para terminar, hoje quando cheguei a casa tinha um livro à minha espera!

E o dia ficou mais feliz …

 

(#‎quarentenadegratidão‬