Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Fabuleux destin d'Ana

Não existe lugar para o acaso ...

Fabuleux destin d'Ana

Não existe lugar para o acaso ...

Peregrinação...

2015-04-25 13.55.47 (2).jpg

2015-04-25 14.01.21.jpg

2015-04-25 12.37.08 (2).jpg

IMG_0001 (2).JPG

IMG_0006 (2).JPG

IMG_0007 (2).JPG

IMG_0030 (2).JPG

IMG_0036 (2).JPG

IMG_9982 (2).JPG

IMG_9993 (2).JPG

IMG_9979 (2).JPG

Queria eu ser pássaro ...

Quando descobri o prazer imenso de caminhar!! 

A vida, essa, segue o seu rumo, e nos seguimos a vida com passos firmes e vigorosos percebendo que com cada um desses passos fazemos o nosso caminho.

 

Somos todos peregrinos nesta vida …

 

 

Querido (muito querido, amigo) Galeano …

Ontem, morreu ontem Eduardo Galeano!!!

E pela primeira vez senti profundamente, a morte de alguém que não conhecia.

Escrevi quando soube da sua "viagem":  Para que serve a poesia se não para sobrevivermos à vida...

Penso que me habituei à ideia que o Galiano era imortal, como os livros antigos das bibliotecas; eternos!

Via-o como um tio afastadooooooo que vivia lá no outro lado de mundo, que de tempos a tempos me escrevia uma carta em forma de livro (só para mim) !!!

Todavia, penso que possivelmente, agora ele esta mais perto, e a sua energia dança pelo meio destas palavras e de todas as palavras do mundo onde exista um sentimento de amor por detrás...

 

Querido (muito querido, amigo) Galeano …

Lisboa dos amores ...

Lisboa tem em mim um sentido agridoce …

Guarda memórias que sem dúvida alguma não são minhas, nem tão pouco se aproximam de mim e nem tão pouco fazem parte das minhas estórias mais remotas …

Não sei porque sinto essas reminiscências em cada passo que dou pelas ruas estreitas entre a Mouraria e Castelo, penso que as memórias e as estórias estão sentadas na beiras das casas antigas à espera que alguém as olhe, que alguém as pegue, que as envolva numa vida atual…

E eu sou esse alguém, sou uma apaixonada por estórias esquecidas que foram ficando abandonadas por entre os tuc-tuc dos turistas que ficam deslumbrados por uma Lisboa encantada e a modernidade dos tempos contemporâneos que não extinguiu o antigamente.

IMG_9801 (2).JPG

IMG_9818 (2).JPG

IMG_9838 (2).JPG

IMG_9765 (2).JPG

IMG_9842 (2).JPG

IMG_9876 (2).JPG

IMG_9862 (2).JPG

IMG_9928 (2).JPG