Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Fabuleux destin d'Ana

Não existe lugar para o acaso ...

Fabuleux destin d'Ana

Não existe lugar para o acaso ...

(in) felizmente

Infelizmente não tivemos tempo,
Para fotos, retratos ou outras películas;
Para um jantar de despedida ou para um último beijo
Quero dizer: tivemos esse beijo;
Eu é que não tinha catalogado como ultimo …
(pensava eu – ingenuamente, que esse ainda fazia parte dos primeiros)
Não tivemos tempo para mentir ou para trair,
Ou ainda para fazer de conta que não estávamos a ouvir.
Percebemos cedo de mais de que tudo é efémero.
 
 
P.s - Esta é a unica forma de guardar boas recordações ...

 

 

Buongiorno Italia

 

Foram marcadas hoje ...

Vou entre muitos outros lugares passar por aqui:

 

Mas o melhor, é que entre linhas de comboio daqui para lá e de lá para cá ...

Irei realizar um sonho (mais um ...) Deste falarei num proximo post !!!

 

Ali no Porto ...

Do Porto para além das imagens,

Trago os sonhos renovados,

Trago a certeza do que sou,

E trago os amigos (re) encontrados.  

Trago as ruas da ribeira, os moços a banhos

E os fantasmas que passeiam alegremente pelas pedras da calçada, marcadas pelas histórias de tempos antigos.

Trago os silêncios de livrarias para lá de centenárias cobertas de pó.

Trago também embrulhado em papel colorido as palavras de alguém que á muito aprendi a admirar.

Foi inaceitável não o ter devorado por inteiro – tamanha era a sede do “ quase romance”

“Escrever é usar as palavras que se guardaram: se tu falares de mais, já não escreves, porque não te resta nada para dizer”.

Como? Como seria (im) possível o ter deixado lá? Como seria (im) possível não o pegar?

Do Porto trago ainda mais de três dezenas de risos …

Esses servem para ecoar no tempo e no espaço – Como eu gosto de estar viva!

 

 

logo ali ao lado ...

Ferias ...

 

 

"Estávamos sentados uma tarde na Piazza Navona, o seu local preferido de Roma. Ela bebia um dos seus inúmeros chás diários e há mais de uma hora que ali estávamos, sentados a contemplar a beleza perfeita da praça,… Mas estávamos ali há demasiado tempo, era a primeira vez que vinha a Roma e tinha, logicamente, alguma pressa de seguir caminho e ver outras coisas. Sentindo a minha impaciência, a minha mãe disse-me: "Miguel, viajar é olhar." Até hoje, fiquei sempre cativo desta frase e do que ela implica e compromete o verdadeiro viajante." 
 

Ela - Sophia M.B

 

existem coisas fantásticas ...

 

Esta é sem duvidas uma delas ...

 
Vias/ouvias já lá vai para mais de duas semanas
 
Claro que ri e emocionei-me e todas as outras coisas habituais  de quem vai assistir em primeira fila a uma peça chamada “monólogos da vagina”
 
E porque escrevo hoje? Ohhh, quando vinha para casa liguei o rádio
… e passa de posto para posto …
… de musica sem sentido para musica pimba e pop …
Ate que cheguei a Antena 3 e lá encontrei a Guida Maria e a Ana Brito e Cunha em amena cavaqueira sobre vaginas e não só …
Posto  isto muito bem … Tiro o chapéu ahhh grande Guida Maria
“(…) os Penis não fazem monólogos porque não sabem falar."