Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Fabuleux destin d'Ana

Não existe lugar para o acaso ...

Fabuleux destin d'Ana

Não existe lugar para o acaso ...

gosto ... gosto sempre ...

Gosto de si ...

(quando estamos entre estranhos ...)

Gosto de ti ...

(na presença de conhecidos ...)

Gosto de ti, Amor!

( junto dos amigos ...)

Gosto de ti em silencio ...

( quando dormes a meu lado ...)

 

Meia, a tua (...)

Numa semana cheia de encontros

E (des) encontros ...

Onde mal te vi ... e pouco te falei ..

Acabamos a semana da melhor forma!

De ti, Guardo uma meia !!!

 

Um história por dia ...

Conta-se que, com raiva de ter sido traído por sua primeira esposa, o rei Xeriar, a cada dia desposava uma virgem, e todo o dia mandava matar a esposa com que passara a noite. Ele já matara três mil mulheres quando conhece Scheherazade, que se oferece para casar com ele apesar dos protestos do pai.

Uma vez nos aposentos do rei, Scheherazade pede para se despedir de sua irmã, Duniazade. No meio da conversa, como haviam combinado antes, Duniazade pede que a irmã lhe conte uma história. Scheherazade, que tinha lido livros e escritos de toda a espécie, conta uma história que, como havia planejado, cativa a atenção do rei. Ele pára e escuta a narrativa, escondido. Mas ela interrompe a narrativa para a concluir apenas na noite seguinte. Curioso para saber o final da história, o rei não mata Scherazade. Nas noites seguintes, excitado com a narrativa, o rei pede novas histórias, e assim ele a mantém viva até que, depois de mil e uma noites e três filhos depois, o rei, entretido e moralmente elevado pela histórias, desiste de matá-la e faz dela sua rainha.

 

Museu

Sejam, bem vindo, aos Museu dos Contos ...

Aqui, iremos despertar os vossos desejos,

os vossos, os meus , e os nossos !!!

(...)

Amanha vou ser Guia de um Museu especial ...

Irei apresentar dois objectos, duas historias, dois desejos .

Nervosa !?!?! (queres tu saber)

Nem por isso, penso em ti!

- O meu desejo mais cobiçado -