Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Fabuleux destin d'Ana

Não existe lugar para o acaso ...

Fabuleux destin d'Ana

Não existe lugar para o acaso ...

todo o caminho é caminho ...

Todo o caminho é caminho…

Por favor, não me julguem (não percam esse tempo)

Também, não me considerem se sou mais ou menos feliz – tal não vós diz respeito.

O meu caminho são as minhas escolhas e essas mesmas escolhas refletem Quem Eu Sou!!!

E sabem de uma coisa? Eu gosto a brava de ser Quem Eu Sou…

Hoje (por exemplo) fui a miúda que foi a feira com o pai encontrou o tio de 83 anos e ouviu histórias novas da vila e arredores. Eu sou um pedaço deles e é incrível como as historias de vida desses homens se refletem em mim. A pobreza, honestidade, a perda e o continuar sempre a andar.

Sei que todos nos somos seres distintos, com missões desiguais e cada um é como é…

Porém, no meio deste universo de histórias, de pessoas, de acontecimentos existem uns quantos aos quais nós revemos …

Saber de onde vimos, onde estamos para então saber onde queremos ir …

Hoje também descobri a Quinta do Bispo e todos os fantasmas, que a habitam, gosto imenso disto!!!

Não sou Vintage, nem hippie nem nada que se parece (mas já fui isso e muito mais coisas parecidas…)

Demorei muito tempo (cerca de 30 1/5 anos) para descobrir Quem Eu Sou!!!

Ainda estou nas primeiras páginas deste meu grande EU, por isso quero ficar sossegada, longe de gentes, de confusões, quero mesmo ficar quieta.

As vezes, fico tão branda no jardim que os pássaros sentem curiosidade e chegam perto, mais perto, um pouco mais perto ate que Chico, o gato aparece ou Bolas o cão os tenta abocanhar …

O que vós vou contar, pode parecer estranho, vejam bem que até a meia dúzia de meses atrás (eu diria 5 anos)  eu via o mundo horizontal ou vertical. Defendia a esquerda politica e atacava a direta, o comunismo poderia ser a salvação (já na altura me surgia alguma duvidas como tal seria possível)  e utilizando a expressão de uma amiga eu poderia comer o pão vermelho…

Contudo, o mundo deixou de ter posições, passei-o a observa-lo da minha varanda na sua totalidade…

Deixou de ter uma ordem para se fazer ordem (a minha ordem)!!!

Deixou de haver marcas,  modas e spot’s !!! Passei a fazer somente aquilo que quero e me dá gozo a seria… primeiro, descobri que passei 30 anos a fazer coisas que não gostava, segundo existe pouca coisa que eu gosto de realmente de fazer e todas essas coisas estão dentro de uma simplicidade pacata. (que as vezes garanto irritam-me) (este irritar claro que é ironia)

Sou a típica miúda da aldeia, que de tempos a tempos vibra em ir a cidade grande…

Eu, não sou o ter nem o estar eu escolhi o ser!!!

Tal não significa ser melhor ou pior, mais ou menos iluminada, é somente o caminho que eu preferi caminhar …