Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Fabuleux destin d'Ana

Não existe lugar para o acaso ...

Fabuleux destin d'Ana

Não existe lugar para o acaso ...

Vendaval ...

Encontrei assim a vila hoje !!!

Despida de turistas apetrechados de utensílios variados que somente se dão uso no verão, de curiosos sem apetrechos levianos de outras estações, interessados somente no mar que dizem ser milagroso …

Havia poucas pessoas hoje na vila, contavam-se pelos dedos de uma mão as gentes que metidas em casacos bem fechados se atreviam a pisar a rua junto a praia, locomoviam-se essas gentes em corridas apressadas, como se fugissem de um furação ameaçador e aterrador, pois o vento brincava com os telhados, com as árvores, com os cartazes e com tudo o resto que encontrava no caminho, nunca se sabe quando é que esse mesmo vento se torna insensato para galhofar com um de nos, desta forma temos como incumbência andar mais rápido e passar despercebidos enquanto sentimos as ondas a devorar cada pedaço de terra  …

Enquanto tentava manter a tradição domingueira de olhar o mar, de o sentir, de  guardar um pouco da sua essência, passou por mim um casal de nórdicos que andavam em marcha lenta junto ao muro (ao meu muro) olhando o mar como se fosse a primeira vez que assistiam a uma tempestade vinda do oceano!!! Não pude de admirar o estado de pasmo com que aquelas pessoas se deleitavam, olhando as ondas que ferozmente engoliam a praia … também o  vento reparou neles e não sei se por graça ou se pelas sandálias com meias, levantou-os do chão fazendo-os rodopiar sobre si mesmo, os cabelos louros misturam-se e os olhos andaram durante breves segundos a girar em busca de um ponto seguro …  não me atrevi  ir nem fazer nenhuma observação para além de um sorriso traquinas, disfarçado e muito contido pois o vendaval andava a solta !!!

Só as gaivotas, aquelas aves nada raras mas muito emblemáticas se atreveram a fazer frente aos caprichos do oceano. Andavam encolhidas mas firmes nas suas decisões de defender a praia e a pouca areia que se deixava ver … pensei que também eu as vezes sou gaivota, também eu as vezes enfrento outros vendavais com menos vento, é um facto, mas com uma força que ultrapassa qualquer onda vinda do oceano!!!  

Hoje é dia de tempestade !!!